50% das mulheres podem sofrer com infecção urinária - Doutor Adalberto Urologista

50% das mulheres podem sofrer com infecção urinária

“AS MULHERES DEVEM ESTAR SEMPRE ATENTAS E EVITAR TOMAR MEDICAMENTOS POR CONTA PRÓPRIA E SE POSSÍVEL MANTER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E INGERIR MUITA ÁGUA, INDO AO BANHEIRO COM REGULARIDADE, MAS NÃO MUITO FREQUENTE E NÃO SEGURAR DEMAIS A URINA, ASSIM É NECESSÁRIO O EQUILÍBRIO”

Ao menos uma vez na vida, 50% das mulheres sofrerão com Infecção do Trato Urinário (ITU). E 25% terão o problema de modo recorrente, ou seja, ao menos três vezes ao ano. A Infecção de Trato Urinário pode atingir desde a uretra, bexiga ou até o rim e ela acomete a mulher em qualquer faixa etária. Além de ser muito comum nas gestantes, sendo a principal causa de parto prematuro. Por isso da importância de ser diagnosticada e tratada rapidamente.

A partir disso, o ginecologista Dr.Tadeu Batista de Carvalho destaca que geralmente a infecção pode ser assintomática que não apresenta nenhum sintoma ou apenas conter alguns sintomas como dor ao urinar, coloração escura, retenção de urina e outros. “Ao ir ao médico a mulher realiza alguns exames e é possível detectar leucócitos no exame de urina normal, mas, às vezes não é infecção de urina sendo preciso fazer uma cultura para ver realmente se existe a presença de bactéria”, explica.

Segundo Dr. Tadeu tomar antibióticos por conta própria pode selecionar as bactérias correndo o risco de uma infecção ainda mais grave. “As mulheres devem estar sempre atentas e evitar tomar medicamentos por conta própria e se possível manter uma alimentação saudável e ingerir muita água, indo ao banheiro com regularidade, mas não muito frequente e não segurar demais a urina, assim é necessário o equilíbrio”, afirma.

Ainda de acordo com o especialista caso não apresente sintomas não tem necessidade de tratamento, somente de prevenção e em relação as gestante, mesmo que assintomática se ela tiver caso de infecção de urina é indicado o tratamento. Isso pode ser feito com medicamentos naturais e uso de antibiótico dependendo da bactéria. A mulher deve procurar o ginecologista rotineiramente já que a infecção de urina assintomática pode ser gravíssima.

No caso da aposentada Marlene Oliveira de 76 anos, que teve infecção urinária há dois meses com duração de duas semanas, conta que percebeu ao sentir fortes dores ao urinar, além disso, notou a coloração escura, retenção de urina e inicio de febre. Com o diagnostico rápido o tratamento foi feito com antibióticos e antitérmicos além de muita água. “Fiz a confirmação por meio do exame e fiz o tratamento seguindo as recomendações medicas e isso ajudou na melhora rápida da infecção”, relata.

Prevenção

A prevenção principal é manter uma boa alimentação, tomar muita água pelo menos de dois a três litros de água diariamente. Com isso evitando outras infecções genitais além da urinaria, os traumatismos genitais e corrimentos.

A faixa etária influencia, tanto nas crianças quanto nas idosas aumentando o risco de infecções e nas mulheres após a menopausa, com a diminuição dos hormônios o trato genital começa a ter uma atrofia natural. E isso segundo Dr. Tadeu pode aumentar o risco dessas infecções “não somente pela queda da bexiga como o trato genital que com a atrofia fica mais suscetível as infecções”, ressalta.

Fonte: Jornal do Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *